sábado, 30 de abril de 2011

Meu Salgueiro


No meu coração úmido de pranto
Plantei um salgueiro-chorão
Quero alivia-lo dos miasmas da solidão.

Brota meu salgueiro
Vem, me dá seu abraço ácido
Cura-me as chagas do coração.

Cresça e se torne imortal como és
Enfeite as portas da minh’alma
Afasta-me dos venenos da indiferença
Cura-me das pestes da ilusão.
(AD)



2 comentários:

  1. Adorei o poeminha, o q me identifiquei mais. Também quero um salgueiro...rs...
    Beijos querida...

    ResponderExcluir